Vinagres: as diferenças entre os vinagres comuns e o balsâmico

A palavra vinagre vem do francês, vin aigre, que significa vinho azedo. Pelo nome já é possível entender como é feito o vinagre.

Na produção do vinagre há duas etapas principais: a primeira é a fermentação, processo no qual o açúcar das uvas é degradado a álcool etílico devido à presença de bactérias ou levedos; a segunda etapa é um processo mais lento, no qual as bactérias Acetobacter aceti atuam na reação entre o álcool e o oxigênio do ar, formando o ácido acético, ou seja, o vinagre.

Os vinagres mais populares são feitos de uvas (vinagre de vinho tinto e branco), maçã (vinagre de sidra), centeio ou aveia maltados (vinagre de malte) e arroz (vinagre de arroz). Cada um destes possui sabores e aromas exclusivos, pois mantém os compostos de sua matéria prima. Na escala mais alta de pureza está o vinagre branco destilado e, finalmente, chegamos ao vinagre balsâmico.

O vinagre balsâmico é originário da cidade de Módena e produto do mostro da uva Trebbiano. Este mostro é cozido, tornando-se reduzido e concentrado e, posteriormente, armazenado em diferentes recipientes/tipos de madeira. O tempo necessário para a elaboração do vinagre balsâmico é de, no mínimo, 12 anos. Quando pronto, o resultado é um líquido espesso, parecido a um xarope, de cor marrom e sabor agridoce inconfundível.

O vinagre balsâmico que passa por todo este processo é denominado Aceto balsamico TradizionaIe, pois tem sua produção controlada em baixa escala. É considerado um dos condimentos mais refinados da gastronomia e pode ser o sabor inigualável de um prato. Este tipo de vinagre não é recomendado para cocção, apenas para a finalização de receitas, já que com a temperatura, perde parte de suas características sensoriais.

A palavra “balsâmico” provém de “bálsamo” ou “remédio”, devido ao uso medicinal que o vinagre balsâmico tinha na antiguidade, antes mesmo de fazer parte de saborosas preparações.

Agora que você já conhece as diferenças, que tal aperfeiçoar suas receitas com o vinagre?

About these ads
Esse post foi publicado em Vinagres e marcado , . Guardar link permanente.

3 respostas para Vinagres: as diferenças entre os vinagres comuns e o balsâmico

  1. gostei muito das informações. muito útil.
    Agora podemos optar pelo melhor….

  2. Laudeneyde Maria Lins Campos disse:

    Gostei das informações, mas também gostaria de saber se posso usar o balsâmico na preparação de “confit” de tomate, cenoura, beterraba, etc. Desde já agradeço pela atenção. Um abraço.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s