Finalmente entendendo a piramide dos alimentos..

No século passado, o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, após várias pesquisas, desenvolveu  e  publicou  a  Pirâmide dos Alimentos.
Vários indicadores educacionais mostravam que o desenvolvimento de uma pirâmide alimentar auxiliaria de forma  correta  o  ser  humano a se alimentar, promovendo uma qualidade de vida melhor.
A  principal característica da Pirâmide Alimentar é a flexibilidade. O uso da Pirâmide está  baseado   em   três   palavras:   equilíbrio, variedade   e  moderação.
Ela  é  apenas um exemplo do que você consome  todos os dias, não é uma  prescrição  rígida,  mas  um  guia  geral que o faz escolher uma dieta saudável e, nesse sentido perde a aura de censora e adquire a característica de orientadora.

Segundo  a  FAO/OMS   (Departamento   de   Agricultura   dos   EUA  / Organização  Mundial   da   Saúde),  um  cardápio balanceado deve conter, diariamente,  cerca de  50  a 60% de carboidratos, 20 a 30% de lipídeos e 10  a  15%  de proteína, além  das  vitaminas,  sais  minerais  e fibras.

Para garantirmos que todos esses  nutrientes  estejam  presentes na dieta diária,  a  FDA (Food and Drug Administration  –  órgão  do  governo  dos EUA  que  controla a produção e comercialização de remédios e alimentos), preconiza o consumo das seguintes porções diárias de alimentos que compõem a Pirâmide Alimentar:

(1) Grupo dos Pães, Cereais, Arroz e Massas: 6 – 11 porções por dia

(2) Grupo dos vegetais: 3 – 5 porções por dia
(2) Grupo das frutas: 2 – 4 porções por dia

(3) Grupo dos laticínios: 2 – 3 porções por dia
(3) Grupo das carnes, ovos e leguminosas: 2 – 3 porções por dia

(4) Grupo das gorduras, óleos e açúcares: uso esporádico

A  pirâmide  alimentar    separa    os   alimentos   em  energéticos,  reguladores,  construtores   e  energéticos extras. Esses alimentos devem ser  consumidos  em ordem  decrescente,  ou  seja,  devemos  consumir  em maior   quantidade  os  energéticos (1),  seguidos  dos  reguladores (2), dos  construtores  (3) e por último os energéticos extras (4), de consumo limitado.
Dentro do espectro de ações contras doenças cardiovasculares e a obesidade, desde  1992 foi  desenvolvida  uma  nova  versão  da Pirâmide Alimentar  sem  tanto  carboidrato, ou seja com menor sugestão de consumo dos carboidratos (Pães, Cereais, Arroz  e  Massas) que representavam a base da pirâmide alimentar.
Agora  eles estão presentes no topo da mesma,  devendo  ser  consumidos  com moderação, em pequena quantidade!!!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s