Physalis a fruta que conquista admiradores


downloadPhysalis a fruta que conquista admiradores

Envolta por um casulo de folhas finas e douradas e em formato de cálice, a Physalis (Physalis peruviana L.), é oriunda da América do Sul e tem recebido grande destaque pela sua composição nutricional, em decorrência da presença de compostos biologicamente ativos que promovem benefícios a saúde e diminuem os riscos de algumas doenças como câncer, malária, asma, hepatite, dermatite e reumatismo.1,2,3,4 Atua como hepatoprotetor, antiespasmódico, diurético, anti-séptico, antialergênico,  antiviral, vasoprotetor, sedativo e analgésico, possuindo ação antimicrobiana efetiva principalmente no tratamento de infecções de garganta e na eliminação de parasitas intestinais.2,3,5
É uma fruta rica em fitoestérois, vitaminas A, E, C, K e do complexo B, além de fornecer alguns minerais importantes como fósforo, ferro, potássio e zinco.2,5 Ela Possui ainda alto teor de fibras, sendo que a pectina atua como regulador intestinal.2 A atividade no sistema imunológico é efetivada através do fitoquímico Physalina, podendo evitar a rejeição a órgãos transplantados, além de diminuir o LDL-Colesterol e a glicemia.1,3

Pode ser consumida in natura ou processada para receitas. Como apresenta alta perecibilidade, o processamento da fruta em outros produtos (geleias, sucos e compostas) é capaz de prolongar sua vida útil, uma vez que enquanto a vida de prateleira da fruta com o cálice é de um mês, a fruta sem o cálice pode durar somente cinco dias e a manipulada em doces possui prazo de validade de até 12 meses..1,2,3,6 Há também a versão desidratada, sendo essa mais facilmente encontrada, porém pode conter menor quantidade de compostos bioativos em comparação a fruta in natura.2,3

Como a maioria é importada, seu custo pode ser elevado. O valor da embalagem de 80g pode variar entre 8 e 10 reais no comércio paulista. Porém, por se tratar de uma fruta com alto valor de mercado, alguns produtores brasileiros tem demonstrado interesse na sua produção, o que pode futuramente diminuir seu preço na hora da compra.1,7

Autora: Nutr. Carla Moura

Referências:

1-LICODIEDOFF, Silvana. Caracterização físico-química e compostos bioativos em physalis peruviana e derivados. 2012. Tese (doutorado em Engenharia de Alimentos, Setor de Tecnologia) Programa Pós-Graduação em Engenharia de Alimentos, Setor de Tecnologia, Universidade Federal do Paraná.

2- IZLI, Nasmi et al. Effect of different drying methods on drying characteristics, colour, total phenolic content and antioxidant capacity of Goldenberry (Physalis peruviana L.). International Journal of Food Science and Technology, v.49, p.9–17, 2014.

3- VALDENEGRO, M et al. The Effects of Drying Processes on Organoleptic Characteristics and the Health Quality of Food Ingredients Obtained from Goldenberry Fruits (Physalis peruviana). Scientific Reports, v.2, n.2, 2013.

4- NAMIESNIK, Jacek. In Vitro Studies on the Relationship Between the Antioxidant Activities of Some Berry Extracts and Their Binding Properties to Serum Albumin. Appl Biochem Biotechnol, v.172, p.2849-2865, 2014

5- PERK, Basak Ozlem et al. Acute and Subchronic Toxic Effects of the Fruits of Physalis peruviana L. Evidence-Based Complementary and Alternative Medicine, 2013.

6- RUTZ, Josiane K. et al. Geleia de physalis peruviana l.: caracterização bioativa, antioxidante e sensorial. Alim. Nutr. Araraquara, v. 23, n. 3, p. 369-375, jul./set. 2012.

7-IANCKIEVICZ, Alessandra et al . Produção e desenvolvimento da cultura de Physalis L. submetida a diferentes níveis de condutividade elétrica da solução nutritiva. Cienc. Rural,  Santa Maria ,  v. 43, n. 3, Mar.  2013

 

 

 

 

 

Quercitina e outros flavonóides na prevenção da doença cardiovascular

imagesEstudo realizado pela Universidade de Oxford, na Inglaterra, comprovou que o consumo diário de maça, fruta rica em quercitina, melhorou os níveis de colesterol de pacientes que faziam tratamento com estatina.

A quercetina é o flavonoide do momento e esta inserida em muitas pesquisas sobre alimentação saudável e em inquéritos epidemiológicos avaliando a sua relação adjuvante aos benefícios das estatinas – medicação redutoras de colesterol com ampla evidência científica de redução de problemas cardiovasculares. Mas, o fato da quercetina, ou de outro flavonoide, apresentar potencial efeito antioxidante não é sinônimo de que possua funções milagrosas. Há que se lembrar que diversos estudos, com milhares de pacientes, falharam em demonstrar qualquer benefício cardiovascular com a suplementação de substâncias antioxidantes.
Os flavonoides, como a quercitina, teriam uma ação de relaxamento arterial. Mas para isso, é preciso aliar altas doses de vegetais ao baixo consumo de sal e aumento da atividade física, bem como, redução da ingesta de gorduras saturadas.
Há mais de uma década, a Dieta do Mediterrâneo, que se caracteriza pela riqueza do consumo de frutas, verduras, legumes, cereais, leguminosas (grão-de-bico, lentilha), oleaginosas (amêndoas, azeitonas, nozes), peixes e azeite de oliva, mostrou ser capaz de reduzir a chance de um novo infarto e de morte em indivíduos que já haviam tido um primeiro infarto

Na realidade, uma dieta caracterizada simplesmente por um alto consumo de frutas e verduras também estaria associada a benefícios efetivos na redução da Doença Cardiovascular? Essa pergunta merece consideração à luz de estudos multicêntricos com grande número de observações.

 

Acerola: atraente, saborosa e rica em vitamina C

Acerola
Foto: Afonso Lima

A acerola (Malpighia glabra L.) é uma fruta originária da América Central, e largamente cultivada no oeste da Índia e América do Sul. Com uma cor que pode variar entre verde suave, amarelo alaranjado e vermelho escuro brilhante, dependendo do grau de maturação, é uma fruta visivelmente atraente e que também agrada o paladar.

O Brasil é o maior produtor, consumidor e exportador de acerola no mundo. Existem muitas variedades da fruta, que podem ser classificadas de acordo com seu sabor, doce ou azeda.

É uma fruta especialmente rica em vitamina C, além de também fornecer beta caroteno, ferro e cálcio. Estima-se que a fruta pode conter de 1040mg/100g a 1790mg/100 de vitamina C, cerca de 30 vezes mais que o contido em 100g de laranja. O processo de maturação influencia na quantidade dessa vitamina, que passa a ser menor, conforme a fruta fica mais madura. As acerolas azedas são mais adstringentes e, consequentemente, possuem mais vitamina C. A cor vermelha também é um indicativo de saúde, pois é decorrente da presença de antocianinas, composto que com capacidade antioxidante, anti-inflamatória, provoca vasodilatação, entre outros benefícios.

A acerola pode ser ingerida de forma natural ou em preparações como suco, compotas, geleia, doces, entre outras. É uma fruta muito delicada que deteriora em 3 dias após sua colheita, e se houver ruptura da película, o prazo diminui. Esta é a principal razão pela qual a acerola comumente passa por processamentos industriais, resultando em sucos, polpas e outros produtos. Mesmo após o processamento da acerola, os produtos ainda mantem alto conteúdo de vitamina C, apesar das perdas.

In natura ou em alimentos processados, a acerola traz muitos benefícios à saúde e deve ser incluída na alimentação, tornando-a mais saudável e atrativa.

A Laranja na história da humanidade

Suco-de-Laranja Alaranjas elaranjas origem da laranja é controversa, relatos históricos situam as mais remotas plantações de laranjas há 2000 anos em diversas regiões da Ásia ( China, Butão, Malásia…)
Na verdade a laranja como a conhecemos hoje, é produto de uma intensa aclimatação geográfica, mutação genética induzida ou espontânea e  seleção econômica.
A laranja atingiu a Europa na idade média depois de circular pela África e a região da península Arábica.
Os portugueses, na época dos descobrimentos, introduziram os diferentes tipos de frutos cítricos nas regiões em ocupação, observando a fácil adaptação climática e geológica. No Brasil o início do plantio se fez nas regiões do Nordeste e Bahia, sendo depois conduzida a região Sul e Sudeste.
A utilização dos sucos cítricos, ricos em vitamina C, foi uma das maiores descobertas médicas dos navegadores, na prevenção e cura do escorbuto, causado pela falta dessa vitamina.
A laranja é um alimento rico em vitaminas, principalmente a C e A, bem como antioxidantes (Flavonóides –  Hesperidina) e minerais (Potássio, Fósforo, Cálcio e Magnésio)
Tipos de Laranja consumidos no Brasil
Laranja Bahia
Conhecida como laranja de umbigo, possui sabor adocicado, polpa suculenta e casca amarela intenso.
Laranja da Terra
Possui sabor ácido e polpa suculenta, muito utilizada para compotas e sucos, tamanho pequeno e forma achatada
Laranja Lima
Possui teor reduzido de acidez, sabor doce intenso, casca amarelo claro e fina.
Laranja seleta
Fruta de tamanho médio ou grande, sabor adocicado, casca amarelo claro consumida ao natural ou em sucos.
Laranja pera
Suculenta, de tamanho pequeno, casca avermelhada, ideal para compotas e sucos.
Laranja Barão
De tamanho médio, suculenta, utilizada em preparações culinárias, casca fina e lisa.

Laranja, não é somente suco, esta na mitologia…

laranjaAs laranjas além da presença no mercado mundial de comodities, sendo o suco de laranja um investimento cobiçável, também fazem parte dos livros de nutrição e das descrições da mitologia grega.
Segundo a história, Hércules,  o famoso herói grego e filho de Zeus, precisou lutar incansavelmente para obter as “maças douradas”, nome dado as laranjas.
A batalha, contra um dragão de 100 cabeças, guardião do jardim das Hespérides  auxiliado por ninfas, foi muito intensa, com a sua vitória, finalizou a última das suas doze missões se tornando  definitivamente um Deus e indo morar no Olimpo

Guaraná, só refrigerante?

GuaranaO guaraná alimento muito conhecido no Brasil na forma de refrigerante, tem um nome diferente: Paullinia cupana Mart. var. sorbilis, pertence à família Sapindaceae, um arbusto originário da região Amazônica.
Os frutos do guaraná são os mais comumente utilizados, mas as folhas, as flores e até as sementes pode ser aproveitadas. O extrato de guaraná apresenta em sua composição os radicais metil-xantínico, como a cafeína, teobromina e teofilina, além de conter taninos, saponinas, catequinas, epicatequinas, proantrocianidois, dentre outros componentes antioxidantes em menor concentração.
Apesar de o café ser famoso por conter a cafeína, o guaraná é um dos vegetais mais ricos em cafeína, representando cerca de 3 a 6% do peso do fruto, mais do que dobro em comparação com de grãos de café, que apresentam de 1 a 2%. Desta forma é valida a crença em academias sobre as suas propriedades estimulantes, como a redução da fadiga, aumento da agilidade, e como um auxílio ergogênico em atividades esportivas.·

Manga, vilã ou mocinha das dietas?

MangaA manga, dentre as frutas tropicais, é considerada uma das mais importantes. O destaque fica para seu sabor, aroma, coloração e também pelo seu valor nutritivo.
é uma das frutas com maior aceitação na europa, sendo inserida nas preparações culinárias salgadas ou doces.
Para se ter uma ideia do potencial comercial, a manga é a segunda fruta tropical mais consumida, ficando atrás apenas da banana.

Originária da Índia, só chegou ao Brasil no século XVI, trazida pelos colonizadores portugueses. O cultivo da mangueira começou na região Nordeste e logo se espalhou pelo país.

Existem tipos diferentes de manga, entretanto, a maior parte não é produzida para a comercialização, pois não atende às especificações apropriadas para o consumo. Dentre as mais principais estão: Tommy Atkins – a mais cultivada e exportada pelo país –, Haden, Keitt e Palmer.

A manga possui elevado valor nutricional, mas muitas vezes é taxada como fruta calórica, que engorda, e acaba sendo excluída do cardápio daqueles que se preocupam com o peso. A composição da fruta varia de acordo com o cultivo, as condições climáticas, estocagem e tratamento, mas geralmente a manga possui: água (60 a 80%), carboidratos (glicose, frutose e sacarose), ácidos orgânicos, sais minerais, proteínas, vitaminas e pigmentos. Apesar de apresentar valor calórico um pouco mais elevado quando comparada a outras frutas, possui maior quantidade de micronutrientes – vitaminas do complexo B, fósforo, cálcio, ferro e principalmente alto teor de vitamina A e C. É devido a este teor de vitamina A que a manga é considerada um excelente antioxidante. Além de ser fonte de carotenóides – seu conteúdo de β-caroteno varia de a 800µg a 13.000µg/100g de fruta – ainda é rica em polifenóis, e por isso foi destacada como importante alimento na prevenção de doenças.

Com toda essa qualidade nutricional, vale incluir a manga no cardápio. Desta forma, sem ultrapassar a porção diária, é possível garantir mais benefícios á saúde, além de muito mais sabor na sua alimentação.

Você sabia que a manga pode ser utilizada na forma verde ou madura? As verdes são empregadas em barras de fruta, geleia, para chutney, picles, manga em pó ou em fatias desidratadas. Já as maduras, além do consumo in natura, podem virar suco, néctar, cremes, purê, alimentos concentrados, compotas, sorvete, xarope, entre outros. Aposte nessa versatilidade para incluir a manga sem seu dia a dia.