Mais um pouco de informação sobre ostras e mariscos…

 

Existem controvérsias em relação ao teor de colesterol das ostras, bem como da maioria dos mariscos, mas atualmente os especialistas acreditam que o seu consumo não implica um agravamento dos problemas de colesterol elevado no sangue.
Vários estudos efetuados revelaram que o consumo regular de marisco faz inclusivamente baixar os níveis de colesterol LDL (mau colesterol).

Apesar do conteúdo de colesterol ser elevado no marisco, a quantidade de gordura é muito pequena.

Tal como os peixes gordurosos, as ostras possuem ácidos graxos essenciais (ómega-3 e ómega-6), ainda que em menor quantidade, protetores contra as doenças cardiovasculares (veja outros textos relacionados ao tema no blog)

As ostras são ótimas fontes de vitamina B12, necessária à formação dos glóbulos vermelhos e à manutenção de um sistema nervoso saudável, bem como, outras vitaminas do complexo B como a niacina, tiamina e riboflavina.

Pessoas que sofram de gota ou ácido úrico elevado no sangue devem evitar ostras e marisco de uma forma geral, pois são alimentos ricos em purinas (substâncias que elevam a taxa de ácido úrico no sangue).

Todos os tipos de marisco são alimentos que se degradam com muita facilidade pelo ataque de bactérias. Deve por isso ter alguns cuidados para evitar uma intoxicação alimentar.

Os frutos do mar, principalmente as ostras são normalmente, consumido crus ou temperados com suco de limão, Tente come-los no próprio dia em que as comprar, no máximo, conserve-as no frigorífico entre 0 e 5ºC, e consuma em 2 dias.

A água poluída pode contaminar grandemente as ostras, uma vez que elas se alimentam filtrando a água do mar. As bactérias e os metais pesados depositam-se nos seus tecidos à medida que a água é filtrada, dessa forma, conheça a origem do produto e a sua conservação.
 

Fonte: ABC dos Alimentos ; www.nutricaoclinica.com.br acesso 20/10/2011

Anúncios

Ostras na libido, fertilidade e potencia sexual

 As ostras são um alimento muito rico em minerais, vitaminas e pobres em calorias, visto que possuem baixa composição nutricional em lipídios e carboidratos.

Cerca de seis ostras cruas ou cozidas no vapor fornecem a quantidade de zinco necessária para cinco dias.

O zinco é necessário para a produção de esperma e manutenção da potência masculina, tendo fama de aumentar a libido. Sabe-se ao certo que uma carência de zinco provoca infertilidade e impotência, muitos trabalhos científicos com soldados e pessoas desnutridas, relacionaram impotência e falta de libido com deficiência no consumo de Zinco.

Sendo ou não um alimento afrodisíaco, é certo que se trata de uma fonte de muitos nutrientes vitais.
As ostras são pobre em calorias e gordura e com cerca de 10% de proteínas.

Podem ser consumidas cruas, com variados molhos acidos ou mesmo suco de limão.
Algumas observações clinicas associam o consumo de ostras com molhos de gengibre e champagne como a melhor relação custo benefício no tratamento da impotencia,
Na verdade esses trabalhos carecem de validade científica e passam muito perto do folclore da alimentação !!

 Valor nutricional de 100g de ostras:

• 57 Kcal;
• 6 g de proteína;
• 4 g de hidratos de carbono;
• 1,9 g de gordura.

Um pouco sobre ostras e moluscos…

Os frutos do mar estão divididos em duas classes principais: moluscos e crustáceos. Os moluscos apresentam conchas (valvas) ou não. Podem ter uma ou duas conchas, são eles: ostras, mexilhões, vieiras, mariscos, vôngoles, polvos e lulas. Os crustáceos possuem uma carapaça dura, são eles: lagostas, lagostins, siris, caranguejos e camarões.

Propriedades Nutricionais
São excelentes fontes de ômega 3, que são gorduras que trazem benefícios à saúde, como diminuição do risco de doenças cardiovasculares, normalização dos níveis de colesterol e triglicérides na corrente sanguínea, além de atuarem no sistema imunológico.

Os frutos do mar são ricos ainda em proteínas, vitaminas e sais minerais. Entre eles, podemos citar a vitamina A, as vitaminas do complexo B, vitamina D e E e os minerais como cálcio, iodo, potássio e zinco.

Por outro lado, são fontes de colesterol e sódio e por isso devem ser consumidos com moderação. Os frutos do mar possuem potencial desencadeador de alergias dependente de fatores individuais dos consumidores, e são muito suscetíveis a deterioração e contaminação em temperatura ambiente ou mesmo sob refrigeração.
Saiba um pouco mais sobre alguns frutos do mar
Ostra: Tem o corpo mole, protegido por uma concha dura, grossa, cinza escura. Possui sabor suave, levemente salgado. A cor da carne pode variar do bege ao cinza e a textura pode ser macia ou firme. Pode ser consumida crua, com suco de limão e pimenta, cozida, ensopada, como moqueca, frita ou grelhada. A ostra é uma boa fonte do mineral zinco.
Mexilhão: Sua concha é de cor negra azulada. Pode ser servido cru, ao vinagrete ou utilizado como ingrediente de algumas preparações como paella, caldeirada ou fritadas de frutos do mar.
.

Valor nutricional em 100g de Mexilhões:

• 79 Kcal;
• 7,4 mg de proteína;
• 5,8 mg de carboidratos;
• 1,4 mg de gordura.
(Fonte: USP – Laboratório de análise de físico química dos alimentos)

Veja as calorias de alguns frutos do mar:

Frutos do mar

 

Calorias
Siri 1 unidade (16g) 15 kcal
Camarão frito pequeno 5 unidades (25g) 39 kcal
Camarão cozido grande 1 unidade (30g) 24 kcal
Ostra 1 unidade (30g) 40 kcal
Mexilhão 1 xícara (200g) 158 kcal
Vieira 1 prato sobremesa (100g) 82 kcal
Marisco 1 prato sobremesa (100g) 186 kcal
Polvo 1 colher de sopa (22g) 19 kcal
Lula cozida 1 pires (100g) 92 kcal
Lula frita 1 pires (100g) 190 kcal
Caranguejo 1 colher de sopa (20g) 17 kcal
Lagosta 1 unidade (100g) 98 kcal
Lagostim 1 unidade (25g) 22 kcal

 

Fonte: Roberta dos Santos Silva Nutricionista-chefe do programa Cyber Diet