Refrescantes, porém calóricos

gelo_3d_papel_papeis_de_parede
Saiba como se hidratar no verão sem engordar

Com o aumento das temperaturas, é recomendada a ingestão de quantidade abundante de líquidos para evitar a desidratação, condição mais perigosa em crianças e idosos.  A água é a melhor bebida da estação, mas às vezes fica difícil resistir a sucos, batidas, smothies e sorvetes líquidos que podem minar a dieta.

Veja na lista abaixo algumas bebidas que só parecem inofensivas à balança.
Sucos naturais – As frutas contêm açúcar, que mesmo sendo os famosos carboidratos complexos,  podem engordar. Um copo de suco de laranja, um dos mais calóricos, possui 180 calorias – mesma quantia de uma colher de capelete de frango com molho rosê.  Dependendo da combinação de frutas, esse valor aumenta.  Um copo de suco de laranja com manga pode chegar a 200 calorias, igual a um copo de caldo de cana. Por outro lado,  um copo de suco de tomate possui 27 calorias contra 60 calorias do de melão, um dos menos calóricos.
Alerta especial para os nectars de frutas, possuem açúcar adicionado e são extremamente calóricos, opte pelos sucos naturais
Água de Coco – Apesar de rica em potássio e nutrientes, um copo de 250 ml possui 50 calorias. Diabéticos, por exemplo, devem evitá-la, pois contém alta taxa de carboidratos que se transformam em glicose, aumentando os níveis de açúcar no sangue.  Se for batida com uva verde, um copo possui  184 calorias.
Smothies – A bebida cujo significado em inglês é macio, em geral, é feita de sucos de frutas, vegetais com sorvete ou iogurte. Para ficar mais light, deve se usar sorvetes de frutas, que são feitos só com água, não leite. Se o ingrediente for o iogurte, opte pelo light. Um copo de um smothie com banana, morango e sorvete pode ultrapassar as 200 calorias.  A mesma recomendação vale para os milkshakes.
Cerveja – É falsa a sensação de matar a sede da bebida que não só desidrata como rouba vitaminas do organismo.  Além disso, uma lata possui cerca de 155 calorias, e deve ser consumida com moderação.
Refrigerantes – Devem ser evitados, principalmente os sem a alegação de diet /light,  porque contêm altas quantidades de açúcar e de sódio. Mesmo a versão diet, também tem o temido sódio, corantes e outras substâncias industrializadas. Leia sempre o rótulo das embalagens
Chás – Se não forem industrializados, são opção adequada para hidratar o organismo em dias quentes.  Podem ser consumidos sem culpa, pois não têm calorias. Caso não agrade o paladar, podem ser tomados com adoçantes. Os chás industrializados podem conter conservantes, sal e muito açúcar, convém conhecer a origem e a composição nutricional

Anúncios

Água, como harmoniza-la com o vinho e a comida?

Na verdade, quando bebemos vinho, sejam eles tintos encorpados ou brancos suaves, devemos intercalar as taças de vinho com quantidades adequadas de água. No aspecto gastronômico, reduzem o paladar residual da comida recém digerida, realçam os sabores e aromas dos vinhos e facilitam a digestão. A ingestão de água, segundo tratados de medicina, reduz a concentração alcoólica do sangue e protege da embriagues, atenuando também os sintomas de ressaca do dia seguinte.
As águas podem ser classificadas nos quesitos: gaseificação, salinidade e mineralidade.
Variam o aroma, sabor e harmonização de acordo com a maior ou menor participação de cada quesito de classificação.
As águas mais leves, com pouca mineralidade e salinidade acompanham muito bem os pratos mais delicados e de sabor refinado.
As receitas elaboradas com molhos espessos ou com carnes vermelhas,  nas mais variadas preparações, harmonizam com águas minerais  com intensa salinidade  e moderadamente gaseificadas.
As massas e pizzas podem ser acompanhadas de águas com pouco gás e reduzidas em minerais e sal.

No quesito dos vinhos, a harmonização se mescla também com o tipo de alimento ingerido.
De forma geral, os vinhos ácidos combinam melhor com águas pouco gaseificadas ou mineralizadas, a gaseificação intensa pode intensificar a acidez do vinho, prejudicando seu sabor e paladar.
Os vinhos originários da uva Chardonnay, Merlot e Cabernet podem ser valorizados com águas de gaseificação e salinidade moderada.
A uva Pinot Noir, por outro lado, pede águas gaseificadas levemente e, dependendo do alimento, salinidade moderada.

As águas com intensa gaseificação, muito apreciadas no Brasil, e consumidas muito geladas, ocupam pouco espaço na harmonização com vinhos, mas agradam o paladar em climas quentes.
Por fim, as sensações de sabor, aroma e salinidade das águas, passam por individualização do paladar e preferencias subjetivas, o importante é utiliza-las sempre, pois  valorizam os pratos e complementam qualquer receita gastronômica.

Água na produção de alimentos, a água oculta.

No preparo doméstico das refeições temos a clara necessidade da utilização da água, seja nos processos de higiene, de preparo efetivo ou na limpeza dos utensílios de alimentação.

No entanto, existe um consumo de água oculta. Nesse ponto devemos avaliar toda a água necessária nas ações de plantio, colheita e distribuição, ou mesmo a água utilizada nos processos de industrialização.

Alimento /produto industrial Água consumida
na produção (litros)
01kg de carne bovina 15.500
01 par de sapatos 8.000
01 Hamburger bovino 2.400
01 camiseta de algodão 2.000
01 xícara de café 140
01 taça de vinho 120

Fontes: FAO / UNESCO; Water fotoprint Network; 2010

Água mineral, Também pode ser nutriente? Saiba por que…

Nas revistas de banca ou mesmo nas especializadas, comumente observamos indicações de utilização de água como hidratante ou como coadjuvante ao tratamento clínico de diversas doenças.
No passado era comum a indicação de visitar as cidades chamadas de termais ou estações de águas para, por meio de um estilo de vida, que incluía muita ingestão de determinadas águas, curar ou melhorar sintomas de doenças crônicas.

A água é o principal hidratante e deve ser sempre utilizado, seja no dia a dia, na atividade física intensa ou moderada.

A seguir enumeramos os principais tipos de águas encontrados no mercado, divididos por tipos e indicações.
Nos cardápios, conhecendo essas características, poderemos melhor adaptar receitas, melhorando molhos e caldos. 

TIPO DE ÁGUA CARACTERÍDTICAS / COMPOSIÇÃO
Alcalino – Bicarbonatadas Possuem, no mínimo, 0,200g/l de Bicarbonato Sódio,
Indicação relativa:Digestivas e Diuréticas
Alcalino – Terrosas Possuem, no mínimo, 0,120g/l de Bicarbonato de Cálcio,
Indicação relativa:Digestivas e Diuréticas
Alcalino – Terrosas Cálcicas Apresentam 0,0048g/l de Cálcio
Indicação relativa:astenia, taquicardia
Alcalino – Terrosas Magnesianas Possuem, no mínimo, 0,030g/l de Magnésio
Indicação relativa:Laxativas
Oligominerais Possuem Lítio e/ou Fluor
Ferruginosas Possuem, no mínimo, 0,005g/l de Ferro
Indicação relativa: Anemia
Sulfatadas Possuem, no mínimo, 0,100g/l de Sulfato de Sódio, Potássio ou Magnésio
Indicação relativa: Laxativas
Sulfurosas Possuem, no mínimo, 0,001g/l de Enxofre
Indicação relativa: inalação de vias aéreas
Radioativas Fracamente radioativas, contém Radônio.
Indicação relativa: Analgesia e sedação
Carbogasosas I Naturais, formadas em solos com origem vulcânica
ou com material orgânico em decomposição. O
gás é retirado da água, tratado e reincorporado.
Carbogasosas II Artificiais, recebem gás alimentício, originário do Gás Carbônico
da atmosfera.

Fontes: Revista Saúde, 2007; Dra.Petra Sanches, 2007

Água, dicas e mistérios

Composta por duas partes de hidrogênio e uma de oxigênio (H2O), a água se destaca como a substância mais abundante no corpo humano, chegando a consistir entre 50 e 65% do peso de um adulto magro

Uma das importantes propriedades da água é a capacidade de dissolver outras substâncias. A água é considerada solvente universal, porque é muito abundante na Terra e é capaz de dissolver grande parte das substancias conhecidas.
Se percebermos na água cor, cheiro ou sabor, isso se deve a substâncias (líquidos, sólidos ou gases) nela presentes, dissolvidas ou não.

A água é o principal constituinte das células humanas e está presente em todos os processos fisiológicos e bioquímicos que ocorrem no nosso corpo. A água permite a regulação da temperatura corporal, é responsável pela eliminação de toxinas, através da urina e do suor e representa cerca de 95 % do plasma sanguíneo que transporta oxigênio e nutrientes até às células. (Fundação Luso).

Em pessoas saudáveis as variações da quantidade de água no corpo surgem no crescimento, aumento ou perda de peso, durante a gravidez e lactação. O total de água corporal varia de pessoa para pessoa, sendo esse valor afetado por diversos fatores, como: massa muscular e tecido adiposo. (Institute of Medicine, 2004).

A água desempenha um importante papel, no que respeita à prevenção de doenças e ao bem-estar geral:

– hidrata o corpo a partir do interior, contribuindo para que a pele se mantenha saudável, lisa e suave; – evita perturbações do trânsito intestinal, como a prisão de ventre; – ajuda a fortalecer as defesas naturais.
– ajuda a prevenir a formação de pedras nos rins e contribui para a redução do risco de infecções urinárias;

 Um corpo adulto contém em média 45 litros de água, dos quais, 30 circulam dentro das células. Aproximadamente 3 litros circulam como plasma sanguíneo, transportando proteínas e outros nutrientes com capacidade de penetrar nas paredes capilares. Os demais 12 litros integram o líquido intersticial, que envolve as células e produz a linfa e várias outras secreções. Com exceção do tecido ósseo, no qual a água é mantida encapsulada, existe um intercâmbio permanente de líquidos intracelulares e extracelulares através das membranas das células.

  A água possui nutrientes que ajudam e atuam no organismo humano de forma positiva, como cálcio, potássio, sódio, e magnésio.

– Cálcio atua na formação de tecidos, age na coagulação do sangue e na oxigenação dos tecidos, alem de combater as infecções e mantém o equilíbrio de ferro no organismo.
– Potássio atua associado ao sódio, regularizando as batidas do coração e o sistema muscular e contribui para a formação as células. Sua falta pode acarretar diminuição da atividade muscular.
– Magnésio atua no controle a excitabilidade neuromuscular.

A falta desses sais minerais traz conseqüências gravíssimas ao organismo, como por exemplo, no caso de uma desidratação, em que há perda desses minerais, podendo levar ate a morte.

A água mineral é, em geral potável e pode ser bebida na fonte ou engarrafada – desde que a fonte esteja preservada da poluição e da contaminação ambiental e que o processo de engarrafamento seja feito com higiene.(Só Biologia)

O consumo de água engarrafada está crescendo firmemente no mundo nos últimos 30 anos. É o mais dinâmico setor de toda a indústria de alimento e bebidas; o consumo, no mundo, cresce numa média de 12% cada ano, apesar do alto preço comparado com a água de torneira. (RG NUTRI, 2010).

O consumo diário para uma adulto deve ser em torno de 8 copos.