O idoso feliz e com saúde passa muito perto do alimento correto

idoso-feliz-1024x859 idosos-felizes 12.01.09-centro_lazer_feliz_da_vida-divulgação-8O Brasil, nos últimos 60 anos observou a população com idade superior a 60 anos sair de 5% para 10% do total de habitantes.
No entanto, nos próximos 40 anos a população idosa atingirá 30% da população brasileira, em 2050 o número de brasileiros acima de 60 anos será cerca de 70 milhões de pessoas.
Para muitos planejadores públicos, envelhecimento populacional significa aumento de idosos frágeis, solitários e via de regra isolados em instituições focadas na terceira idade, mas com custeio elevado e financiamento inexistente.
Nesse aspecto, a nutrição adequada assume papel relevante, não só prevenindo doenças, mas também atuando de forma contundente na qualidade de vida e na melhoria da saúde.
No entanto, a alimentação e nutrição adequada não é suficiente para inserir qualidade de vida e longevidade nesse grupo etário,  atividades lúdicas, socializantes e geradoras de maior força muscular também devem ser estimuladas.
Pontos cruciais no planejamento nutricional para a terceira idade:
Fatores e restrição
Redução no consumo de Sal / Sódio.
Restrição ao consumo de gordura saturada.
Redução do consumo de carboidratos, principalmente os chamados simples e ultra processados.
Redução do consumo calórico global

Fatores de melhoria de consumo e estilo de vida
Aumento do consumo de frutas, legumes e verduras
Aumento do consumo de leite e derivados, incluindo os probióticos
Rotulagem de alimentos adequada às deficiências cognitivas e físicas
Facilidade e praticidade de manuseio de embalagens
Apoio e incentivo à atividade física
Incentivo e estimulo à atividades lúdicas e de convívio / socialização

Terceira idade, perda muscular, como evitar ?

O organismo das pessoas passa por um processo de perda involuntária da força muscular que se inicia a partir dos 30 anos, com grande acentuação após a sexta década.
Essa redução muitas vezes é inaparente, sendo mais visível na perda de motilidade nas mãos, dificuldade de caminhar, subir escadas e executar tarefas rotineiras do dia a dia.
A área da saúde denomina essa doença, que atinge 40% da população, como sarcopenia, isto é,  perda de massa muscular.
A redução muscular não esta necessariamente ligada a redução significativa do peso, o organismo pode ter um aumento da massa de gordura e aparentemente não se apresentar magro. Desta forma, a falta de  músculos saudáveis esta escondida sob uma aparência de saudabilidade.
A alimentação adequada, com boa ingestão de proteínas e vitamina D é a maneira mais adequada de prevenção da sarcopenia.
Outro fator importante é a prática de atividade física, fator diferenciador na qualidade de vida dos idosos e na prevenção de quedas, pois fortalece todos os músculos, prevenindo a redução natural da nossa capacidade motora.