Cachaça também pode ser “gourmet”

Na denominação de cachaça gourmet estão enquadradas as variedades que sofrem processos de envelhecimento, algumas, em decorrência do tipo de madeira do tonel, ainda mantem uma cor branca e semi transparente.
O tipo de madeira e tempo de envelhecimento, dentre outras particularidades de produção, conferem características próprias a diversas cachaças. A seguir um pequeno resumo dessas características, focadas no tipo de madeira utilizada nos tonéis.

Brancas ou semi transparentes

Jequitibá
Tempo médio de envelhecimento, cerca de dois anos, aromas suaves, adocicados, lembrando caramelo
Amendoim
Aroma intenso,, lembrança de milho e cereal.
Freijó
Aromas intensos, um pouco picantes, alto teor alcoolico, próximo de 50%

Amarelas ou escurecidas

Angico
Aroma de ervas e cereal, macia ao paladar sem retrogosto.
Pau Brasil
Geralmente com envelhecimento médio a longo (2 a 3 anos), bom equilíbrio de aromas e amargos, misto de flores e ervas.
Bálsamo
Envelhecimento longo ( em torno de 6 anos), aroma de flores, equilíbrio em amargor e picante.
Umburama
Aroma doce, misto de canela e flores, sem ardor ou amargor no retorgosto
Araribá
Geralmente com envelhecimento muito longo (mais de 8 anos), aromas de ervas, perfume marcante, equilibrada em acidez e ardor.
Jatobá
Aroma marcante, meio terroso mesclado com ervas, amargor médio, retrogosto forte e intenso, cor amarela escurecida.
Amarelo-cetim
Aroma de madeira, acida e com amargor forte.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s