Alimentação e exercício físico, qual a relação que existe na prevenção da Osteoporose ?

A osteoporose é uma doença caracterizada por diminuição da massa óssea, levando à fragilidade do osso e aumentando o risco de fraturas.

Os riscos que influenciam a manifestação da osteoporose podem ser relativos à pessoa (individuais) ou do ambiente que ela vive (ambientais).
São considerados fatores de risco individuais a história de casos de osteoporose na família, mulher branca, presença de escoliose, indivíduos magros, tipo constitucional pequeno e aparecimento prematuro de cabelos brancos.
Representam fatores ambientais o álcool e o cigarro, cafeína, sedentarismo, alimentação inadequada, múltiplos partos, ausência da menstruação por prática excessiva de exercícios, menopausa precoce, doenças no sistema endócrino e dieta rica em fibras, proteínas e sódio (diminuem a absorção de cálcio).

Embora alguns resultados sejam contraditórios, diversas pesquisas não deixam dúvidas quanto aos efeitos benéficos da atividade física sobre o tecido ósseo, tanto em indivíduos normais quanto na prevenção e tratamento da osteoporose. Os exercícios físicos, quando praticados nas fases de crescimento e de desenvolvimento, determinam ganho de 7 a 8% de massa óssea no indivíduo adulto, reduzindo consideravelmente os riscos de fratura na idade avançada.

Algumas pesquisas demonstraram que exercícios com carga de peso moderada como caminhadas, cooper, promovem aumento do conteúdo mineral nos ossos de mulheres na pós-menopausa. Ao contrário, observou-se que quando submetidas a exercícios físicos de baixa carga de peso como natação, que são satisfatórios no condicionamento cardiovascular, mas não promovem alteração no conteúdo mineral do esqueleto.
Além disso, também é comprovado que os exercícios físicos, com carga de peso moderada, ajudam na manutenção ou no ganho de massa óssea em mulheres na pós-menopausa.

Independentemente da atividade física praticada, indivíduos com maior força muscular e maior massa magra, podem possuir maior conteúdo mineral ósseo. A determinação de qual o tipo de atividade física seja a ideal para aumentar o pico de massa óssea na adolescência, ou mesmo mantê-la após a idade adulta, é muito importante para a prevenção e o possível tratamento da osteoporose, cuja incidência ocorre principalmente em mulheres pós-menopausadas.
Outro aspecto a ser considerado deve ser a associação do conteúdo mineral ósseo com a força muscular e a composição corporal, sugerindo que a prescrição de um treinamento que vise melhorar esses parâmetros pode ter um efeito benéfico no conteúdo mineral ósseo.

No enfoque nutricional a indicação de alimentos ricos em Cálcio como leite derivados e frutos do mar, bem como a adequada ingesta de Vitamina D, deve ser uma prática corrente no dia a dia das atividades em alimentação.Nutricionista Dra. Michele Trindade
Fontes:
– National Osteoporosis Foundation. Osteoporos Report. 1999; 5(2).
– Oscarino NM, Serakides R. Efeito da atividade física no osso normal e na prevenção e tratamento da osteoporose. Rev Bras Med Esporte. 2006; 12(3):165-168.
– Cadore EL et al. Efeitos da atividade física na densidade mineral óssea e na remodelação do tecido ósseo. Rev Bras Med Esporte. 2005; 11(6):373-379.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s