Quercitina e outros flavonóides na prevenção da doença cardiovascular

imagesEstudo realizado pela Universidade de Oxford, na Inglaterra, comprovou que o consumo diário de maça, fruta rica em quercitina, melhorou os níveis de colesterol de pacientes que faziam tratamento com estatina.

A quercetina é o flavonoide do momento e esta inserida em muitas pesquisas sobre alimentação saudável e em inquéritos epidemiológicos avaliando a sua relação adjuvante aos benefícios das estatinas – medicação redutoras de colesterol com ampla evidência científica de redução de problemas cardiovasculares. Mas, o fato da quercetina, ou de outro flavonoide, apresentar potencial efeito antioxidante não é sinônimo de que possua funções milagrosas. Há que se lembrar que diversos estudos, com milhares de pacientes, falharam em demonstrar qualquer benefício cardiovascular com a suplementação de substâncias antioxidantes.
Os flavonoides, como a quercitina, teriam uma ação de relaxamento arterial. Mas para isso, é preciso aliar altas doses de vegetais ao baixo consumo de sal e aumento da atividade física, bem como, redução da ingesta de gorduras saturadas.
Há mais de uma década, a Dieta do Mediterrâneo, que se caracteriza pela riqueza do consumo de frutas, verduras, legumes, cereais, leguminosas (grão-de-bico, lentilha), oleaginosas (amêndoas, azeitonas, nozes), peixes e azeite de oliva, mostrou ser capaz de reduzir a chance de um novo infarto e de morte em indivíduos que já haviam tido um primeiro infarto

Na realidade, uma dieta caracterizada simplesmente por um alto consumo de frutas e verduras também estaria associada a benefícios efetivos na redução da Doença Cardiovascular? Essa pergunta merece consideração à luz de estudos multicêntricos com grande número de observações.

 

Maçã, o fruto nada proibido

Maçã_baixa
Foto: Karolina Przybysz

A maçã pertence à família Rosaceae (mesma família do morango e do pêssego), é típica de clima temperado e exige certos cuidados em sua cultura. No Brasil, as regiões mais recomendadas para o cultivo são os estados do sul, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.

A maçã é uma fruta visualmente atrativa e com um sabor delicado, já fez parte da muitas histórias ou lendas religiosas, da ciência e até de histórias infantis. Ela já foi considerada o “fruto proibido” que Eva comeu e por isso ela e Adão foram expulsos do Paraíso. E também, graças a ela, Issac Newton teve sua ideia sobre a gravitação, enquanto descansava embaixo de uma macieira.

O fato é que a maçã é uma fruta muito versátil, encontrada o ano todo, que pode ser consumida in natura, ou ser usada em diversas receitas, doces e salgadas. Seu sabor característico é devido à presença de açúcares e alguns ácidos orgânicos, principalmente o ácido málico.

A média de consumo no Brasil, por pessoa, varia entre 5 a 6Kg de maçã ao ano. Esse número é muito aquém quando comparado a outros países. Entretanto, a maçã deveria ser de fato mais consumida. Apesar de serem necessárias maiores evidências científicas, algumas pesquisas tem demonstrado que o consumo de maçã ajuda na prevenção de doenças cardiovasculares e câncer, mas não há uma indicação de quantidade e frequência, bem como de indicação para determinados grupos da população.  Sabe-se que a fruta possui flavonóides, principalmente a quercetina, que ajuda a diminuir a formação de radicais livres, e também pectina, uma fibra solúvel – ajuda a controlar o nível do colesterol sanguíneo e manutenção da glicemia.

A maçã pode ser encontrada em diferentes tipos:

Fuji: sua polpa é firme e crocante. Possui uma leve acidez e é extremamente aromática.

Gala: sua polpa é firme e bem doce. Sua casca tem um vermelho intenso e sua consistência é crocante.

Argentina/Red: sua polpa é mais esbranquiçada e a consistência de sua polpa é menos maciça, dando a impressão de que ao morder “esfarela” na boca.

Verde: sua casca não possui o pigmento antocianina e, por isso é verde. Possui baixo teor de açúcar e tem sabor bastante ácido, sendo ideal para receitas salgadas.

Escolha seu tipo preferido e se beneficie com todo o sabor da maçã.

Maçãs, uma nova maneira de prevenir doenças?

A nossa maçã do dia a dia (Malus pumila) é muito significante na dieta do Brasileiro, não somente pelo fato de ser uma fruta tradicional que é inserida geralmente na primeira infância do indivíduo, mas também pelas suas atividades benéficas comprovadas, principalmente as associadas às fibras solúveis e insolúveis. Na atualidade, alguns estudos  atribuem mais um benefício à maçã, a atividade antioxidante encontrada na sua casca, e uma atividade antiproliferativa contra as células cancerígenas através dos triterpenóides, composto esse, que é encontrado em algumas cascas de frutas e auxilia também na redução da incidência do câncer de pulmão, da atividade citotóxica e das famosas doenças cardiovasculares.
O estudo da American Chemical Society aponta também que os benefícios podem aumentar se houver uma associação com a ingestão de vegetais de um modo geral.

Fonte: J. Agric. Food Chem. 2007, 55, 4366-4370 Department of Food Science and Institute of Comparative and Environmental Toxicology, Cornell University, Ithaca, New York